• Silvano Formentin

10 Curiosidades sobre a fantástica rede de estradas do Império Romano

Expansão inacreditável, influência no desenvolvimento europeu atual, melhor concreto da história. Conheça agora 10 fatos curiosos sobre essa enorme rede de estradas.

Visão de uma estrada romana nos dias de hoje

Os romanos conquistaram o mundo, e precisaram construir estradas para poderem percorrer seus domínios. Mesmo após 2 mil anos, suas invenções continuam surpreendendo o mundo. Agora você saberá o porquê.


1. Expansão inacreditável


Os historiadores calculam que, quando os romanos chegaram ao ponto máximo de expansão geográfica, a rede de caminhos por eles construídos percorria 80 mil km, ou seja, duas voltas inteiras pelo planeta Terra.


2. Uma rota, múltiplas funções


Estas estradas serviam principalmente para o transporte de tropas e suprimentos, que abasteciam as conquistas do império. Depois, elas se tornaram rotas de comércio e de trocas de mensagens.


3. Três continentes conectados


Estes caminhos conectavam a Europa, o Oriente Médio e o norte da África. Ainda é possível percorrer muitas dessas rotas.


4. 2 mil anos depois, ainda surpreendem


Um grupo de economistas da Universidade de Copenhague, chegou à conclusão que a prosperidade gerada por estas estradas há quase 2 mil anos está relacionada ao desenvolvimento do qual gozam hoje os lugares em seus arredores.


Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores compararam um mapa da antiga rede de estradas romanas com um mapa noturno moderno (foto de satélite), em que é possível ver áreas mais ou menos iluminadas pela rede elétrica.



Foto de satélite mostrando a relação entre o desenvolvimento das estreadas romanas e iluminação atual

Para os economistas, a relação é clara: quanto mais luz, maior o progresso econômico. Para aprimorar a análise, foram coletadas também estatísticas atuais da população, densidade das estradas e produção econômica.


O resultado foi claro: lugares mais próximos as rotas do Império romano tendem a coincidir com aqueles que hoje têm mais estradas, pessoas e desenvolvimento econômico.

Assim, os pesquisadores concluíram que o desenvolvimento de diversas cidades europeias e da Europa como um todo "se deve à persistência de uma notável infraestrutura durante um período de 2 mil anos", aponta o estudo.


5. Camelos nas estradas romanas?


No Oriente Médio e no norte da África, que faziam parte do Império, entre os anos 500 e 1000, o transporte mais utilizado eram as caravanas de camelos, em vez de carroças puxadas por bois. Assim as estradas foram destruídas ou abandonadas, por isso essa regiões não se desenvolveram tão bem economicamente.


6. Tecnologia construtiva alinhada com os dias atuais


As estradas tinham 1 metro de profundidade, com várias camadas: barro, areia, argila, concreto, cascalho e pedra. Eram construídas de forma que a água fosse drenada pelas pedras, coisa que hoje é um grande problema em nossas rodovias.



Camadas das estradas romanas, mesmo após 2 milênios ainda são exemplo de construção

7. Sem curvas


Eram feitas sempre em linha reta, isso mesmo, não existia curva. Para mudar a direção eram feitos ângulos retos. Se fosse necessário, os Romanos cortavam montanhas para levar a estrada em linha reta adiante. 


8. As primeiras redes interligadas


Talvez não tenha sido os romanos que inventaram as estradas, mas até então não existiam esses caminhos pré estabelecidos como uma rede interligada e pavimentada.


9. Você provavelmente já utilizou essa invenção romana


Para dar maior resistências às estradas, os Romanos inventaram algo que usamos até hoje, o concreto. Usado também para fazer os grandes aquedutos.


10. Estradas com um quê de Realeza


Na idade média, depois da queda do Império Romano, muitas estradas foram destruídas para que as pedras fossem usadas na construção dos castelos medievais. 


Curiosidade bônus: "Waze" das estradas romanas


Quer conhecer o “Waze” das estradas romanas? Sim, fizeram um!

O mapa chama-se “Orbis”, e foi criado por um grupo de professores e pesquisadores da Universidade de Stanford. O projeto mapeou mais de 80.000 km das vias romanas, 28.300 km de vias fluviais e 1.026 rotas marítimas do sistema de transporte do Império Romano. 


Com esse "Waze das estradas romanas" você pode calcular a rota mais rápida, a mais curta ou a mais barata para chegar de um ponto a outro do império romano, inclusive escolhendo a estação do ano e se a viagem é a pé, a cavalo, com carro de bois ou em marcha rápida militar.


O site está em inglês, mas mesmo assim vale visitar pela diversão. Clique aqui para conferir.


Se você gostou do artigo, deixe seu comentário informando qual assunto você gostaria de ver aqui. Até o próximo artigo.


Arrivederci!

NUNCA MAIS PERCA UMA POSTAGEM!

Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades, além de dicas e aulas gratuitas!

Siga-me também nas redes sociais

  • Instagram

© 2019, Silvano Formentin

  • Ícone preto do Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Ícone preto do Instagram