• Silvano Formentin

3 segredos do Palazzo Ducale de Veneza

O Palazzo Ducale, lar dos doges, antigas autoridades de Veneza possui algumas coisas curiosas e diferentes em suas salas!

Edifício do Palácio Ducal de Veneza

O Palazzo Ducale, também conhecido como Palácio dos Doges, como o próprio nome já indica, foi o lar dos Doges, autoridades de Veneza e é um dos edifícios que mais representam Veneza! Por isso, eu separei hoje 3 curiosidades desse local tão importante para a cidade.


Ao entrar no Palácio, tudo ao nosso redor chama atenção. Mas, assim como vários outros monumentos da Itália, existem alguns segredos e itens curiosos escondidos pelo Pallazzo Ducale – e é isso que eu vou te contar agora. Eu separei 3 coisas diferentes e incomuns que você pode observar durante o seu passeio!


Confira:


1- Bocas do leão

Uma careta bem pouco amigável nas paredes do palácio... Quem diria que isso vai além de uma mera decoração, e tinha utilidade bem interessante!


Essas bocas nada mais são do que pequenos buracos nas paredes, onde as pessoas podiam depositar denúncias anônimas escritas à mão em um bilhete, para que as autoridades investigassem.


Os próprios guias do Palácio avisam que isso raramente era feito, ainda mais porque na época da república de Veneza, pessoas alfabetizadas eram raras.


Ainda assim, você pode observar duas bocas de leão por lá: uma do lado de fora, no pátio principal e outra dentro do palácio, em uma das salas dos andares superiores.


2- O Doge renegado


A segunda curiosidade é um detalhe que pode ser observado nos afrescos que decoram o Salão do Conselho. Essa, que é uma das principais salas do palácio é decorada com pinturas em todas as paredes, inclusive no teto!


No alto das paredes, existe uma faixa de pinturas que faz a volta em todo o salão. Ali, estão pintados retratos de vários homens usando capas vermelhas, lado a lado. Esses são os doges de Veneza. O interessante, nesse caso, é que um desses retratos foi coberto por uma camada preta de tinta.

Ali é onde deveria estar Marin Faliero, que arquitetou um golpe mas foi descoberto. Marin foi eleito Doge em 11 de setembro 1354, com muitas pessoas se opondo a essa escolha.


Depois disso, ele sofreu uma grande humilhação: um dos nobres que era contra a sua posição como Doge escreveu um poema obsceno sobre a esposa de Marin. Revoltado, ele começou a arquitetar um golpe que consistia em assassinar todos a sangue frio e proclamar-se príncipe de Veneza.

Entretanto, um rico mercador integrante do conselho chamado Beltramo Pellizzer descobriu o plano todo antes dele ser executado.


Traidor da República, ele não foi apenas condenado à morte, mas também ao damnatio memoriae, ou “condenação da memória” isto é, o apagamento total de sua existência.


Esse termo nasceu de um costume da Roma Antiga de remover a lembrança de algo ou alguém que tivesse causado vergonha ou desonra para o Estado Romano. A ideia era apagar todos os vestígios da pessoa em questão da vida do império, ignorando sua existência e todos os seus feitos.


O romano tinha um orgulho imenso de suas raízes e de ser um cidadão do Império, então ser apagado de toda a história era um dos castigos mais severos que alguém poderia sofrer.


Por isso, todos os registros sobre Faliero foram apagados, e isso inclui o seu retrato no Salão do Conselho.


Bom... se esse tal “apagamento” funcionou, eu já não sei dizer... Afinal, de todos os doges representados pelas pinturas, o único mencionado nesse texto, é justamente ele!


3- O Paraíso

Para finalizar, vamos falar sobre a obra principal do Salão do Conselho. O artista Tintoretto ficou responsável por uma grande parcela da decoração dessa sala... e quando eu falo grande, é grande mesmo...


O trabalho de Tintoretto no Salão do Conselho é simplesmente uma das maiores telas do mundo! Ela se chama “O paraíso” e ocupa incríveis 25 metros de largura, por 7,5 de altura – ou seja, praticamente, toda a parede.


O paraíso é uma obra que apresenta uma enorme estrutura e a utilização das mais diversas técnicas, o que lhe diferencia dos demais artistas da época.


Paraíso destaca um grande contraste de luz e sombra, com a presença de grandes conflitos entre as cores fortes e vibrantes presentes na tela, como o vermelho, o branco, o vinho e o marrom.


Acho que não consigo descrever essa obra com outra palavra a não ser impactante! Impactante em talento, em tamanho, em cores... Com certeza o seu passeio pelo Palazzo Ducale não será completo sem parar alguns minutos para admirar essa parede deslumbrante.


Visitando o Palazzo Ducale


O Palazzo Ducale está localizado na Piazza San Marcos – ou seja, pertinho de outras atrações famosas de Veneza, como a Basílica San Marcos e o Museu Correr, por exemplo!


Dessa forma, você pode dividir seu dia de visita à Piazza para conhecer o Palazzo e alguma outra atração da sua preferência!


Mas tenha sempre em mente que esse palácio possui muitos detalhes e muita história, ou seja, reserve algumas horas para poder apreciar tudo com calma e absorver tudo da melhor forma possível!


Me conte nos comentários: qual dessas três atrações você ficou mais curioso para observar de perto? Lembre-se também de cadastrar seu e-mail no campo abaixo do artigo para ser notificado quando uma novidade aparecer por aqui!


Arrivederci!




1.842 visualizações17 comentários

Posts recentes

Ver tudo