top of page
  • Silvano Formentin

Júlio César: O imigrante italiano mais influente que já existiu

Júlio César foi uma figura importante da história romana, conhecido como um excelente militar, além de político e advogado. Ficou marcado como uma das personalidades mais importante dos últimos anos da República Romana.



De mais um romano na multidão a Imperador


Nasceu em Roma em uma família da aristocracia de pouca influência e foi conquistando seu espaço na sociedade romana gradualmente. Foi eleito para diferentes cargos ao longo de sua vida.


"Veni, vidi, vici" (Júlio César)

“Vim, vi e venci”


Aos 16 anos após a morte do pai, Júlio César decidiu tornar-se um alto sacerdote que atuava no culto ao deus Júpiter. Sua alta posição foi abalada com a ascensão de Sula ao poder romano, que passou a persegui-lo em oposição política.


Enfrentando a ameaça iminente de Sula, Júlio César viu seus bens serem confiscados pelo governo sendo destituído de sua posição. Ciente do perigo que pairava sobre sua vida, ele tomou a decisão audaciosa de fugir de Roma.


Permaneceu longe de Roma enquanto Sula esteve vivo. Nesse período, ingressou no exército romano, recebendo honrarias por sua atuação em batalha.


Após a morte de seu perseguidor, Júlio César fez a ousada escolha de retornar a Roma em 78 a.C. Estabelecendo-se modestamente em um bairro humilde da cidade, ele embarcou em uma nova jornada como advogado, onde rapidamente ganhou destaque devido à sua habilidade notável de oratória.


No entanto, o talento de César não se limitou apenas à sua carreira jurídica. Sua notoriedade o levou a trilhar o caminho da política, e sua ascensão começou quando foi eleito tribuno militar. Essa posição marcou o início de uma trajetória que moldaria seu destino e influenciaria os rumos do Império Romano.


Júlio César, Pompeu e Crasso uniram forças para obter o controle político e enfraquecer a atuação dos senadores. Os três dividiram o comando das províncias romanas em várias regiões do mundo antigo. Esse acordo ficou conhecido como o Primeiro Triunvirato.


Os três ausentaram-se de Roma, onde Crasso lutava contra os Partas no Oriente; Pompeu fora nomeado chefe do exército romano na Espanha; e César estava na Gália, envolvido numa guerra longa e exaustiva.


Entretanto, a aliança que um dia uniu Pompeu e Júlio César se desfez após a trágica morte de Crasso. O que antes eram laços políticos sólidos se transformaram em inimizade mortal. Ao retornar a Roma, César deparou-se com uma cidade mergulhada no caos, instaurado pela influência de Pompeu.


Determinado a restaurar a ordem, Júlio César emergiu como uma figura de liderança incontestável, conquistando ainda mais popularidade entre o povo.


Enquanto isso, o exército de Pompeu, derrotado e acuado, fugiu para a Grécia, onde César implacavelmente os perseguiu e conquistou uma vitória decisiva em 48 a.C.


Pompeu e o que sobrou de seu exército fugiram para o Egito em busca de asilo político, mas foi assassinado logo que desembarcou por partidários de Ptolomeu 13 (irmão de Cleópatra que reivindicava o trono). Ele esperava agradar a César e eliminar as chances de Cleópatra voltar ao trono com o ato.


Quando César chegou ao Egito, Cleópatra ainda estava exilada na Síria. Ela precisava falar com César em busca de proteção e aliança política, mas entrar no palácio em Alexandria não seria tarefa fácil, já que os partidários de seu irmão controlavam todos os acessos.



Júlio César e Cleópatra: A união do Império Romano e do Antigo Egito


Segundo as fontes antigas, para entrar sem ser vista, Cleópatra escondeu-se num tapete que um subordinado levou para o palácio. Foi neste relacionamento amoroso que nasceu uma das maiores alianças politicas e interculturais da história: a união de uma macedônia-grega com um romano (italiano).


Este encontro desencadeou uma força imparável que moldaria o curso da história, uma sinfonia de ambição e paixão. Enquanto Roma se curvava perante a beleza e o intelecto da última rainha do Egito, Cleópatra encontrava no imperador romano uma promessa de poder e proteção.


As tensões políticas e os jogos de poder estavam no auge em Roma no ano de 44 a.C. César, com sua ambição e reformas revolucionárias, havia conquistado uma posição de poder indiscutível. No entanto, esse sucesso incomodou os membros da elite romana.


Em meio a essas intrigas, um grupo de senadores, liderados por Brutus e Cassius, forjaram uma conspiração meticulosa. Sob a fachada de um ato público de homenagem, César foi atacado a facadas, sendo traído por seus compatriotas e perdendo a vida.



“Até tu, Brutus”

Júlio César ainda se defendeu, cobrindo-se com uma toga, até ver Brutus, quando então teria dito sua última famosa frase.



A fusão de culturas que moldou o calendário e transformou a história


Antes de Júlio César (100 a.C. – 44 a.C.), o calendário que vigorava em Roma era dividido em 355 dias e 12 meses, o que causava um grande desajustamento ao longo do tempo, pois as estações do ano passavam a ocorrer em datas diferentes.


Júlio César foi cativado pela riqueza cultural desse antigo império egípcio. Entre os muitos aprendizados, descobriu que o calendário pelo qual se orientavam era inspirado pelo ciclo das águas do Rio Nilo, que apresentava três fases distintas: as cheias, o plantio e a colheita.


Esses ciclos eram previsíveis e repetitivos, conduzindo à criação de um calendário único, onde cada ciclo compreendia quatro meses, e essa divisão permitia aos egípcios uma organização precisa do tempo e das atividades agrícolas.


Quando se tornou ditador da República romana, Júlio César resolveu reformar o calendário para adequá-lo novamente ao tempo natural, assim como os egípcios, trazendo para o ocidente o modelo de calendário como conhecemos hoje.


A reforma de Júlio César instituiu o ano depois de 45 a.C. com 365 dias e seis horas, divididos em 12 meses, o que conseguiu resolver o problema durante um tempo. As seis horas que sobravam de cada ano seriam compensadas a cada quatro anos com a inclusão de mais um dia em fevereiro, os dias bissextos.


A maior parte do mundo católico aceitou a mudança, mas foram vários os países que rejeitaram a alteração, fazendo com que mais de um calendário existisse no mundo cristão. Os últimos países a adotarem o calendário gregoriano na Europa foram a Grécia, em 1923, e a Turquia, em 1926.


Assim, Júlio César deixou um legado ao unificar o Egito e a Itália por meio de suas conquistas históricas. Suas realizações transcendem fronteiras, deixando para trás um rico patrimônio cultural que ecoa até os dias atuais.


Sua notável contribuição e importância na história são inegáveis, consagrando-o como o imigrante italiano mais influente de todos os tempos, graças às suas habilidades políticas e diplomáticas excepcionais.


Espero que essa leitura sobre o legado incomparável deixado por Júlio César tenha sido uma experiência verdadeiramente enriquecedora para você, despertando sua percepção acerca da sua significância ímpar para a cultura ocidental.


Se você quer saber mais sobre essa e outras histórias além de curiosidades sobre a Itália clique aqui e conheça nosso curso de Imersão Histórica Italiana


Conheça a Itália de uma maneira diferente e transforme experiência da sua próxima viagem falando italiano fluente em apenas 8 meses.


Continuaremos nessa jornada de descoberta juntos.


Até a próxima leitura,

Arriverderci!


2.022 visualizações11 comentários

Posts recentes

Ver tudo

11 Comments


Marcia Campolim de Oliveira
Marcia Campolim de Oliveira
Jun 07, 2023

Adorei o texto sobre Julio Cesar. Muito construtivo compartilhar com seus alunos esses fatos históricos que só nos faz crescer culturalmente

Like

mhrclena47
May 18, 2023

Excelente texto. Adorei relembrar fatos históricos tão importantes. Parabéns, professor Silvano.

Like

Silvana Rodrigues
Silvana Rodrigues
May 18, 2023

Adorei o texto sobre Júlio César / Militar / Imperador de Roma. Presença marcante na História sobre Roma. Homem dotado de grandes habilidades, guerreiro e diplomático. Sua frase ainda é hj bem lembrada: VENI/VIDI/VICI.


Like
Silvano Formentin
Silvano Formentin
May 23, 2023
Replying to

Uma xará! Obrigado pelo comentário.


O artigo destaca Júlio César, um importante imigrante italiano no Egito.


É fascinante pensar no impacto que indivíduos como ele tiveram ao longo da história, deixando um legado duradouro.


Nossas raízes e antepassados têm histórias incríveis, e conhecer mais sobre eles nos permite entender melhor quem somos.


Se você se sente conectado com suas raízes italianas e tem interesse em explorar mais sobre sua herança, quero convidá-los a participar do nosso Intensivão de 15 dias de italiano.


Lembre-se de que a vida é curta e devemos aproveitar todas as oportunidades que surgem.


Faça algo por si mesmo hoje, e embarque nessa jornada de conexão com suas raízes, garanta sua vaga clicando aqui: https://bit.ly/Imig15Dblg


Vamos aproveitar…


Like

Édis Guerta
Édis Guerta
May 17, 2023

Achei excelente o artigo. Sonho conhecer de "perto" as 5 atrações secretas de Roma. Grata por partilhar estas maravilhas.

Like

js.simao
May 17, 2023

Boa noite Professor Silvano, excelente artigo achei fantástico eu adoro a historia romana espero que para o proximo ano tenha condições de conhecer a Italia.

Like
Silvano Formentin
Silvano Formentin
May 23, 2023
Replying to

Se você se dedicar e realmente seguir os seus sonhos, tenho certeza de que vai conseguir, conte comigo!

Like
bottom of page