• Silvano Formentin

Os segredos da Cúpula de Brunelleschi

A Catedral Santa Maria del Fiori, em Florença, carrega uma das obras arquitetônicas mais surpreendentes da história!

A Igreja Santa Maria del Fiori é um dos pontos principais de Florença. Essa, que é a quarta maior igreja do mundo, é conhecida principalmente pelo que fica em seu topo - simplesmente a maior cúpula de alvenaria da história.


Milhares de tijolos formam essa que é uma construção surpreendente - e que até hoje esconde alguns mistérios e histórias curiosas por trás. É justamente isso que eu vou te contar no artigo de hoje! Confira!


A disputa: Brunelleschi x Ghiberti


Com certeza o que mais chama atenção em Santa Maria del Fiore é a sua cúpula gigantesca. Hoje sabemos que ela é conhecida também como cúpula de Brunelleschi, pois o arquiteto responsável pela sua construção foi o talentoso Filippo Brunelleschi!

Mas você sabia que a Cúpula de Brunelleschi quase se chamou cúpula de Ghiberti? Uma outra disputa ocorreu antes de início da construção, para determinar quem seria o responsável pela obra.


Dessa forma, Fillippo Brunelleschi precisou provar que ele era a pessoa certa para desenvolver o projeto, e ele fez isso de uma maneira muito inteligente!


O outro nome cotado para realizar a obra da cúpula, além de Brunelleschi, era Lorenzo Ghibert. Uma proposta foi feita aos dois artistas: um projeto conjunto, com atuação e comando dos dois.


Decidido a superar Ghiberti de uma vez por todas, Brunelleschi queria assumir a obra da cúpula sem dividir o mérito com ninguém, e por isso, não aceitou o convite.


Para obter controle total do projeto, ele criou uma estratégia muito interessante, até mesmo um pouco engraçada: ele se afastou dos projetos, estudos e das obras por seis meses, fingindo que estava doente!


Dessa forma, algumas coisas começaram a desandar sem a sua presença, e foi assim que ele afirmou que era o arquiteto mais importante, e que sem ele a obra não iria se concretizar!


Depois disso, toda a responsabilidade passou para Brunelleschi, e ele então começou esse trabalho surpreendente, que até hoje encanta e intriga arquitetos do mundo todo.


A construção da Cúpula


Desde o início esse foi um projeto ousado e muito desafiador, afinal, se trata da maior cúpula do mundo – mesmo nos dias de hoje, nenhuma construção chegou a superar a cúpula de Brunelleschi em questão de tamanho e altura.

Para isso, o arquiteto precisou também projetar os equipamentos, maquinários e andaimes utilizados na obra, afinal, não existia no mundo nada que pudesse ser utilizado nesse sentido, pois era uma construção com proporções inéditas!


O projeto não é formado por somente uma cúpula e, sim, por duas: uma externa mais larga e alta e uma interna vista apenas de dentro do Duomo.


É no espaço entre essas duas cúpulas que fica o caminho para os visitantes que sobrem até o ponto mais alto, através de escadas estreias e super inclinadas.


Para chegar à cúpula, é necessário subir 463 degraus em um corredor muito estreito. Contudo, certamente vale o sacrifício, já que o panorama avistado é emocionante e faz jus a uma igreja que foi construída para ser a mais bonita, maior e nunca antes vista.


Felizmente, eu tive a honra de fazer esse passeio! Confira como foi, no vídeo abaixo:

A primeira cúpula, localizada na parte interna, tem formato de concha e apresenta pinturas do Juízo final, realizadas por Giorgio Vasari e Federico Zuccari. Já a segunda cúpula é resistente ao vento, chuva, raios e até terremotos. É majestosa e seu formato é ogival – ou seja, é composta por vários arcos se cruzam e apontam para o alto.


A maior cúpula do mundo - até os dias de hoje


Mais de 500 anos depois, nenhuma construção de alvenaria superou a cúpula de Firenze em tamanho, e ela continua sendo a maior do mundo.


Ninguém sabe ao certo como Brunelleschi foi capaz de estruturar os tijolos na “espinha de peixe” de maneira tão precisa, e alguns pontos da construção seguem sendo um mistério, afinal, ele não deixou nenhum registro, nenhum desenho do seu planejamento!


A visita à Catedral é gratuita, mas para visitar as outras atrações do local, como as criptas, cúpula e campanário, é necessário comprar um ingresso.


Para entrar na Catedral, os visitantes não podem estar vestidos com roupas curtas ou decotadas – é necessário cobrir o corpo em sinal de respeito. Quem não atender à essa regra, vai ser barrado na entrada!


Arte, história e fé compõem esse cenário tão famoso de Firenze, e fazem de Santa Maria del Fiore um local rico em detalhes arquitetônicos, artísticos e religiosos.


Essa é uma parada obrigatória a todos aqueles que querem se aventurar em uma viagem pelo tempo, pela cultura e pela história da Itália!


Me conte nos comentários se você teria coragem de enfrentar todos esses degraus! Lembre-se também de cadastrar seu e-mail no campo abaixo do artigo, para receber as atualizações e novidades aqui do blog!


Arrivederci!


3.962 visualizações23 comentários

Posts recentes

Ver tudo