• Silvano Formentin

Uma fortaleza em Roma

A história do Intrigante Castel Sant’Angelo


Muitos monumentos de Roma são atrações imperdíveis e pontos turísticos costumeiros nos passeios dos turistas que visitam a Itália. Mas, entre tantos lugares de tirar o fôlego, falarei hoje sobre uma edificação diferente, que resistiu ao tempo e impressiona por sua grandeza monumental.

O Castel Sant’Angelo, também conhecido como Mausoléu de Adriano, fica próximo ao Vaticano e às margens do Rio Tibre. É um monumento curioso e um destino atípico em Roma, que acompanhou a evolução da capital e foi modificado diversas vezes, tendo seu uso adaptado às diferentes fases da história da cidade, mas não costuma estar presente no roteiro de viagem de muitos turistas.


A história do castelo tem quase dois mil anos e teve início com o Imperador Adriano, no ano de 130 d.C., quando Adriano planejou a construção de um local grandioso que serviria como um monumento funerário para ele e sua família.


A construção do mausoléu só foi então concluída por outro Imperador, Antonino Pio, no ano de 139 d.C., um ano após a morte de Adriano. Mesmo o monumento ficando pronto depois de sua morte, suas cinzas foram transferidas ao Mausoléu e, de fato, o Imperador Adriano e sua esposa Sabina tiveram suas cinzas depositadas lá a mando de Antonino Pio.


O sepulcro também abrigou os restos mortais da família do próprio Imperador Antonino Pio e de Faustina, sua esposa, assim como o Imperador Marco Aurélio e seus filhos também foram enterrados lá.

Alguns anos mais tarde, em 403 d.C., o monumento acabou se transformando em uma fortaleza militar. O imperador Honório ordenou que lá incluíssem todas as ferramentas de defesa necessárias e que fossem feitas as devidas modificações na estrutura do castelo para que o mausoléu virasse um forte seguro.


Com isso, o forte foi ligado à muralha Aureliana, que protegia a cidade de Roma, e assim por diversas vezes salvou a região que era vulnerável a saques e batalhas. O monumento já estava sob comando militar, mas o povo ainda o chamava de Mausoléu do Imperador.

O nome só mudou depois de um fato curioso que ocorreu em uma época triste para Roma. Em 590 d.C. a cidade estava sendo devastada por uma grande epidemia de peste bubônica. A maior parte da Europa já havia sido atingida pela doença e haviam inúmeras mortes.


Muitos romanos acreditavam que a praga era um castigo divino por conta da corrupção dentro da igreja, ideia que foi reforçada quando a doença chegou à cidade e a primeira vítima foi o Papa da época, Pelágio II.


Por conta de sua morte a votação de um novo papa precisou acontecer. O papa escolhido foi Gregório I, e este teria um grande desafio pela frente ao acompanhar um povo que necessitava reforçar sua fé diante da epidemia.


O novo papa deu suporte para os fiéis fazendo inúmeras missas e procissões pedindo ajuda aos céus para superar a peste. Em uma dessas procissões, o Papa Gregório I passava próximo ao Mausoléu do Imperador com o povo quando avistou o Santo Arcanjo Miguel voando sobre o monumento, guardando uma espada em sua bainha.


O papa interpretou a aparição como um aviso divino de que o anjo protegeria a cidade e livraria Roma da peste. Pouco tempo depois a epidemia realmente chegou ao fim, o que foi visto como um milagre pela população. Em homenagem a este acontecimento colocaram uma grande escultura de anjo no topo do castelo.


Além da mudança no terraço do castelo, também decidiram alterar o nome do local que, por conta do Santo Anjo Miguel que cuidou de Roma no momento da peste, passou a ser conhecido como Castelo do Santo Anjo, o Castel Sant'Angelo.

Por ser um local seguro, diversas famílias ilustres de Roma tentaram comprar o forte para se protegerem de possíveis ataques durante a história. Durante o período em que o castelo foi propriedade da família Orsini, do Papa Nicolau III, uma modificação importante e extremamente estratégica foi feita em sua estrutura por volta do ano de 1277, o Passetto di Borgo.


O passeto é uma passagem de 800 metros que conecta a fortaleza diretamente aos Castelos do Vaticano através de suas muralhas e foi construído para permitir que o chefe da Igreja se refugiasse rapidamente para dentro do forte a fim de se proteger em caso de perigo.


Por um longo período o castelo foi propriedade do Vaticano e serviu como refúgio papal e prisão. Hoje o castelo pertence ao Estado Italiano e abriga o Museu Nacional de Castel Sant`Angelo e é aberto à visitação.

O museu apresenta a longa história do castelo dividida em três partes principais: o mausoléu imperial, o castelo fortificado e os apartamentos papais. Ao longo dos cinco andares que podem ser visitados você pode conferir as celas antigas, os sepulcros, as esplêndidas salas com pinturas renascentistas, que estão muito bem conservadas, e também os quartos papais.


Mas um dos locais mais esperados pelos turistas é o Terraço. Do alto do castelo temos uma deslumbrante vista de 360 graus da cidade de Roma e do Vaticano. Inclusive, no terraço você encontra indicações para localizar os grandes prédios de Roma na paisagem. Um dos melhores locais para apreciar a cidade eterna.

Outra experiência interessante ao visitar o museu é fazer o caminho sobre o passetto, que inclusive foi cenário do filme “Anjos e Demônios”. Assim você pode percorrer o caminho feito pelos papas do castelo até o Vaticano. Mas para essa visita é necessário agendamento no site e só é permitido quando acompanhado por um guia credenciado.


O ingresso pode ser comprado no site do museu ou na bilheteria do local que não costuma ter grandes filas durante o período da manhã, já que neste horário os turistas costumam ir para a praça do Vaticano para verem o Santíssimo Papa.


O Castel Sant’Angelo também fica próximo da Praça Navona, cerca de 700 metros. Se você se interessa por arte sacra, também vale a pena visitar o Museo d’arte Sacra San Giovanni dei Fiorentini, que fica a 400 metros do castelo. Lá você poderá apreciar belíssimas obras de Michelangelo, Bernini e outros grandes artistas que contribuíram com a história da fé na cidade de Roma.


Espero que o meu texto tenha inspirado você a conhecer essa grandiosa obra na capital italiana. Me conte nos comentários qual outro ponto turístico italiano você tem interesse em conhecer, ficarei muito feliz em escrever sobre outros monumentos históricos e assim te permitir saber mais sobre esse belíssimo e amado país.

258 visualizações2 comentários

NUNCA MAIS PERCA UMA POSTAGEM!

Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades, além de dicas e aulas gratuitas!

Siga-me também nas redes sociais

  • Instagram

© 2019, Silvano Formentin

  • Ícone preto do Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Ícone preto do Instagram