• Silvano Formentin

Intercâmbio na Itália: 21 perguntas e respostas que você precisa ler antes de fazer as malas

Qual a melhor idade para fazer intercâmbio, quanto custa, quais os processos de visto, o que preciso para fazer um intercâmbio inesquecível na Itália?

Reuni as dúvidas mais pertinentes para você se preparar e realizar essa experiência transformadora.

São poucas coisas na vida que causam a mesma sensação nas pessoas. O intercâmbio em outro país é uma dessas experiências. Desconheço alguém que tenha feito intercâmbio e não diga que transformou sua forma de viver, de pensar, ou ainda que não indique essa como uma experiência que todos deveriam ter pelo menos uma vez na vida.


A experiência de intercâmbio é realmente transformadora, e se for na Itália, país que nutro uma paixão infinita por sua língua e cultura, melhor ainda. Como já passei pela experiência de viver no país da bota, separei as perguntas mais frequentes e que você precisa saber antes de fazer as malas.


Então prepare papel e caneta ou salve este artigo como favorito e não esqueça desses passos. Tudo pronto? Então vamos lá.

1 - Por que escolher a Itália para um intercâmbio?


Não teria como iniciar o texto sem essa pergunta. Embora a decisão de escolher o país e a cidade para fazer um intercâmbio deva ser restritamente pessoal, existem alguns motivos que fazem da Itália uma boa opção para escolha.


Entre eles estão: a cultura italiana, admirada por todo o mundo e reconhecidamente como uma das mais ricas da história da humanidade. Aliás, um fato curioso sobre arte e cultura, é que a Itália concentra 75% de todo o patrimônio cultural do mundo. Falei sobre isso recentemente nesse post do Instagram:

Então se você gosta de cultura, a Itália é o país perfeito. Mas não é só esse o motivo. Além da riqueza cultural, a Itália é um dos poucos países europeus que concedem bolsas de estudos para estrangeiros, o que viabiliza - e muito - o sonho de diversos brasileiros de realizar um intercâmbio na Itália.


Há ainda outros bons motivos para escolher o solo italiano para sua experiência de intercâmbio, como a comida italiana, belíssimas paisagens, ser reconhecida como referência da moda, o inigualável gelato, reconhecido como o melhor do mundo e, é claro, a linda e romântica língua italiana.


Naturalmente a decisão de escolha do país e cidade para seu intercâmbio cabe somente a você, mas não há como negar o quanto essas características são tentadoras.


2 - Qual a idade máxima para fazer um intercâmbio na Itália?


Essa é uma pergunta muito legal e que pode te surpreender. Não há idade máxima para fazer um intercâmbio na Itália, ou em qualquer outro país.

O que existem são planos de intercâmbio voltados para uma determinada faixa etária, um produto de agências de viagens que são direcionados para um público específico.

Mas assim como os intercâmbios de ensino médio, voltados para jovens até 18 anos, e os de faculdades, direcionado para pessoas de 18 até 30 anos, também existem programas para pessoas acima dessa faixa etária. Inclusive, tem aumentado o número de programas de intercâmbio voltados para pessoas com mais de 50 anos, e a tendência é crescer ainda mais.

Mais um motivo para não permitir que a idade limite seus sonhos.



3 - Quanto custa um intercâmbio na Itália?


Talvez a pergunta mais recorrente desse processo e a mais difícil de responder precisamente, já que depende de muitos fatores, como data de viagem, cidade escolhida, curso ou programa adquirido, local de moradia na cidade, cotação da moeda estrangeira, entre muitos outros.

Mas calma, chegaremos juntos a um valor estimado. Mas lembre-se, é apenas uma estimativa, muito provavelmente o valor final do seu intercâmbio será diferente do que faremos aqui. Inclusive a cotação da moeda tende a ser diferente. Vale lembrar que usaremos a cotação de R$ 4,84, disponível no dia 28/11/2019.


Dentre os itens que devemos considerar para fazer um intercâmbio na Itália estão:


Programa de estudos:


Talvez o primeiro item pesquisado pela maioria - ou talvez 100%- das pessoas que estão pretendendo fazer um intercâmbio na Itália. O valor varia bastante dependendo do tipo de curso escolhido.

Nos cursos de língua italiana, a escola, dedicação dos professores (se é um curso individual ou coletivo) e o número de horas-aula na semana são os itens que mais influenciam no valor final do curso.


Por exemplo, considerando um curso coletivo de 4 horas de aula por dia, com aula todos os dias da semana, durante duas semanas, o valor médio é de 440,00 euros ou R$ 2.129,60 na cotação atual.

Se você optar por curso intensivo e individual, esse valor pode chegar a 1.260 euros semanais, ou a bagatela de R$ 6.098,40 a cada semana, R$ 24.393,60 em um mês.


Mas vamos considerar o curso coletivo nessa estimativa, portanto temos R$ 2.129.60 referente ao curso de italiano na Itália. Vamos ao segundo item.


Acomodação na Itália


É bastante comum as escolas de italiano ofertarem acomodações estudantis ou indicarem parceiros com preço bem reduzido para quem está inscrito nas aulas. No entanto, essas acomodações costumam ser para compartilhamento com outro estudante. Então se você pretende fazer seu intercâmbio na Itália com outra pessoa, essa pode ser uma excelente opção.

Exemplo de quarto em moradia estudantil

Para termos uma ideia, o preço de um quarto compartilhado para duas semanas em Roma, através do sistema de parceria com a escola de italiano, gira em torno de 300,00 euros, enquanto que fora desse sistema, um quarto do mesmo nível de conforto não sai por menos de 40,00 euros por dia, ou 560 euros pelo mesmo período. Sim, é quase o dobro.


Clicando aqui você pode ter uma ideia dos valores de acomodações oferecidos pela Dilit Italian School, uma das escolas de italiano mais tradicionais de Roma.


Uma informação muito importante sobre esses quartos, é que eles ficam disponíveis apenas durante o prazo contratado para o curso. Ou seja, não é possível alugar essas acomodações após o curso terminar. Se quiser permanecer na Itália após o curso (o que é amplamente indicado), será necessário alugar um outro quarto. Você pode também pesquisar no Airbnb, mas legal mesmo é você ter algum amigo que já more em alguma cidade italiana passar uns dias com ele.


Para nossa estimativa, vamos considerar o seguinte cenário: um mês em Roma, sendo as duas primeiras semanas em um quarto compartilhado indicado pela escola e as duas semanas restantes em um quarto do mesmo nível, fora do sistema. Nessas circunstâncias, a estimativa de valores ficaria assim:


  • Duas semanas em quarto duplo - escola de italiano: 300 euros ou R$ 1.452,00.

  • Duas semanas em um quarto - casa compartilhada: 560 euros ou R$ 2.710,40.

  • Total de acomodação para um mês: 860,00 euros ou R$ 4.162,40.

Importante dizer que considerei os valores da região central de Roma, uma das cidades mais procuradas em um intercâmbio na Itália. Dependendo da cidade e do bairro escolhidos, os valores serão diferentes, e você pode encontrar valores mais baixos. Agora nosso terceiro item essencial:


Transporte e alimentação


Este item é ainda mais complicado de estimar, uma vez que ele é diretamente ligado ao quanto você pretende se locomover dentro da cidade. Mas uma notícia boa, é que o sistema de transporte público na Itália é muito organizado e eficiente, e muitas cidades possuem diferentes tipos de planos, que vão desde uma passagem diária até abonos turísticos mensais e anuais.


Em Roma por exemplo, você pode optar pela passagem BIG, que permite você usar o transporte público de forma ilimitada do momento da validação do tíquete até a meia-noite do mesmo dia.


Com um único bilhete, você pode usar o metrô, ônibus, bondes, além dos trens locais entre Roma-Lido, Roma–Viterbo e Roma–Pantano, e o trolebus, que são os ônibus elétricos da cidade. Nesse site você tem mais informações das passagens. Inclusive estou pensando em escrever um artigo somente sobre transporte na Itália, se você gosta da ideia, comente nesse texto.

Trolebus em Roma

Vale ressaltar que se você ficar hospedado em uma acomodação parceira da escola, poderá ir caminhando para a aula, pois elas sempre ficam muito próximas do curso.


Já sobre alimentação, é possível tomar um café da manhã com suco, sanduíche e capuccino por €10. Para o almoço e jantar, embora existam restaurantes para todos os bolsos e gostos, uma refeição custa de 10 a 25 euros.


Então considerando que você faça três refeições diárias em restaurantes, será preciso destinar o valor médio de 40 euros por dia para alimentação, o que resulta em 1.200 euros mensais, ou R$ 5.808,00.


Acrescentando os 6 euros diários do transporte público urbano, teríamos um total de 180 euros ou R$ 871,20 de transporte. Nossa estimativa final de transporte e alimentação nesse cenário de um mês de intercâmbio na Itália ficaria por 1.380 euros ou R$ 6.679,20.

Evidente que esse valor tende a reduzir drasticamente se você comprar os alimentos no mercado e preparar suas refeições em casa. Se você tem essa possibilidade, vale muito a pena para seu bolso.


Custos de viagem


Além de todos os valores que vimos, também precisamos considerar as passagens e o seguro viagem. Falando de passagens, recentemente escrevi um artigo bem legal sobre melhores assentos de um avião, vale a pena conferir.


Existem diversos sites na internet que fazem busca por passagens de avião mais baratas. Em média, uma passagem de ida e volta para Roma partindo de São Paulo custa R$ 3.000.


Vale lembrar que a época do ano, empresa e número de conexões do voo podem variar - e muito - essa estimativa. Além disso, se você é uma pessoa que costuma levar bastante roupa, pode ser que seja necessário desembolsar um pouco mais para excesso de bagagem, então esteja preparado.


O seguro saúde é outro item indispensável para seu intercâmbio na Itália. Naturalmente que os valores variam dependendo da empresa escolhida e do perfil do segurado (idade, motivo da viagem, tempo de permanência, entre outros itens), mas é possível encontrar um seguro saúde razoável por R$ 700,00, que cobre diferentes tipos de despesas médicas durante o período de 30 dias.


A dica aqui é ler atentamente as coberturas oferecidas, se há suporte de atendimento e principalmente, quais as instituições da cidade escolhida para seu intercâmbio na Itália que aceitam seu seguro.

Em soma, temos R$ 3.700 em despesas de viagem, sem considerar possíveis gastos com excesso de bagagem e transporte entre aeroporto e hotel, nos dois países. Hora de somar tudo?


Ainda não, falta um item muito especial.


Fundo de reserva


Este é um item fundamental, porém pouco lembrado na hora de fazer um intercâmbio na Itália.


Acredite, ter um fundo de reserva, um dinheiro extra pode salvar muitas vezes o seu dia durante sua experiência no país da bota. Embora você tenha previsto grande parte dos seus custos, é sempre bom estar preparado para gastos extras com alimentação, transporte e passeios locais, além de é claro, imprevistos.

Minha dica é separar pelo menos 30 euros por dia como reserva, até porque serão infinitas tentações para quem, assim como eu, é apaixonado pela cultura italiana. Lembranças, museus, gelato, peças de teatro e tantas outras coisas legais que certamente irão chamar sua atenção.


Nesse cenário, o total de fundo de reserva seria 900 euros ou R$ 4.356,00. Você pode estar pensando agora: “nossa, quanto dinheiro”, mas quero te lembrar que é só um fundo de reserva, se você economizar, vai sobrar bastante. Isso varia muito de cada pessoa.


Outra dica valiosa sobre atrações na Itália é comprar os ingressos antes, através de sites e serviços como o Roma Pass, que é um passe que combina atrações com transporte, disponível em duas versões:


A versão de 72 horas tem valor médio de 38,50 euros e dá direito a 72 horas de transporte público ilimitado, além de duas atrações gratuitas e 20% de desconto a partir da terceira atração visitada.


Já o Roma Pass 48 horas, custa 28 euros e dá direito a 48 horas de transporte público ilimitado, uma atração gratuita e 20% de desconto a partir da segunda atração visitada. Independente da modalidade escolhida, optar pela compra antecipada dos ingressos certamente vai transformar seu intercâmbio na Itália.


Total da estimativa


Agora que consideramos alguns itens essenciais, temos um valor aproximado de uma estimativa de investimentos de um intercâmbio na Itália. Preparado? Então vamos lá:


  • R$ 2.129,60 para duas semanas de curso de italiano em Roma;

  • R$ 4.162,40 para um mês de acomodação em Roma;

  • R$ 6.679,20 para alimentação e transporte diário;

  • R$ 3.700,00 para passagens aéreas (ida e volta) e seguro durante a permanência no país;

  • R$ 4.356,00 para o fundo de reserva indicado para aproveitar o intercâmbio na Itália;

Total: R$ 21.027.20.


O que você achou desse valor ? Está próximo do que você esperava?


Lembrando que esse é um valor que vai além do intercâmbio na Itália, também consideramos 15 dias de viagens pelo país da bota. Mas não deixe de comentar no fim do texto. Agora vamos a próxima pergunta.


4 - Quais os documentos necessários para fazer um intercâmbio na Itália?


Depende muito do tempo que você quer permanecer no país. A notícia boa é que os brasileiros são isentos de visto para viajar à Itália a turismo, negócios, competição esportiva, convite, missão ou estudo, desde que a estadia não exceda 90 dias.


Para os casos acima, basta preencher um documento chamado “Declaração de Presença” ou Dichiarazione di Presenza, em até oito dias após a chegada ao país. Os demais documentos que você precisa ter são um passaporte válido por no mínimo toda a duração do seu curso na Itália e a contratação de um seguro de saúde.

5 - É preciso falar italiano para fazer um intercâmbio na Itália?


Também depende muito do seu tipo de intercâmbio na Itália. Para os cursos de curta duração, geralmente não é obrigatório, mas é altamente indicado.


Inclusive, para viver uma experiência turística ainda melhor, falar italiano certamente transformará sua viagem a Itália. Recentemente minha amiga Tathy Agnellino compartilhou sua experiência sobre isso nesse post.


No entanto, algumas opções de intercâmbio na Itália, como cursos de graduação ou cursos de longa duração, exigem um certificado de proficiência em Italiano. Mas isso é assunto para outro artigo. Se você quer que eu faça um artigo sobre esse assunto, escreva nos comentários.


6 - Quanto é o custo de vida na Itália?


Esse é um tópico que merece um artigo inteiro só pra ele, ou quem sabe um vídeo, visto que são inúmeros fatores para discutir. Mas simplificando, o custo de vida italiano é mais baixo do que no Brasil, se levarmos em conta a mesma faixa de salário e custo de vida.

Por exemplo, considerando custos como educação, moradia, alimentação, saúde, transporte, internet, luz e água em uma cidade como Roma, teríamos o custo fixo de aproximadamente 500 euros, pouco menos de 50% da renda mínima italiana. Já no Brasil, esses mesmos custos consomem praticamente toda a renda de uma pessoa.

No entanto, vale lembrar que não há um salário mínimo definido por lei na Itália, mas os menores valores pagos superam os 1.100 euros, ou seja, é um custo de vida muito favorável se considerarmos a qualidade de vida na Europa.


Para ter uma ideia mais aproximada, você pode usar sites como o Numbeo, que fornecem uma lista comparativa de itens básicos de diversas cidades do mundo, é bem legal.


Clicando aqui você acessa o custo de vida da cidade de Roma. Em breve voltarei a escrever mais sobre esse assunto.


7 - Como é a segurança na Itália?


Um dos principais diferenciais do país da bota. Você pode andar tranquilamente na rua, passear pelas praças, usar o transporte público e tudo mais, sem correr o risco constante de ser assaltado. Certamente que existem casos de furtos, principalmente nas grandes cidades e nas estações de trem centrais, mas nada que assuste nós brasileiros que, infelizmente, estamos acostumados a um país com altos índices de criminalidade.

Nos quase três anos que morei na Europa (Itália e Alemanha), felizmente nunca tive problemas com isso. Foram inúmeras vezes que caminhei sozinho à noite em Milão, Verona, Turim e em Mainz.


8 - Quais as principais cidades para fazer um intercâmbio na Itália?


Sou suspeito para listar as melhores cidades para um intercâmbio na Itália, já que sou apaixonado por todo esse país e cultura, tão ricas e únicas no mundo.

Por isso, vou usar um levantamento realizado em 2018 pelo jornal italiano Il Sole 24 Ore, que realiza desde 1990 um ranking das melhores cidades de acordo com a qualidade de vida que oferecem. Dentre os critérios avaliados estão a economia, emprego, serviços, cultura e tempo livre.


No último levantamento, as cidades de Milão, Aosta e Bolzano ficaram com as primeiras colocações, mas também vale citar Roma que sempre aparece nas primeiras posições. Além de Veneza, Turim, Gênova, Catânia, Bari e Bolonha que melhoraram seus aspectos.


Independente da cidade que você escolher, certamente seu intercâmbio na Itália será uma experiência transformadora, já que no ano passado a Itália foi eleita o país com a população mais saudável do mundo, cuja expectativa de vida supera os 80 anos. Incrível, não?


9 - É possível viajar pela Europa em um intercâmbio na Itália?


Sim, e além de possível é altamente indicado. Mas atenção: existem diferentes linhas de trem com taxas, duração e principalmente serviços adicionais diferentes.

Uma dica valiosa é falar italiano ao ir viajar de trem dentro da Itália, já que o mais comum é os trabalhadores desse setores falarem somente italiano. Nesse vídeo abaixo eu dou uma dica sobre isso.

10 - É possível trabalhar durante um intercâmbio na Itália?


Nos casos de viagens até 90 dias, seja turismo ou cursos de curta duração, não é possível trabalhar legalmente na Itália.


O visto de trabalho - ou lavoro - na Itália deve ser obtido na Embaixada ou Consulado da Itália ainda no Brasil, por alguém que já tenha uma oferta de emprego no país da bota. Este visto possui três modalidades: subordinato, concedido por vínculo empregatício formal, autonomo para sócios de empresas, profissionais autônomos ou liberais e ainda o stagionale, específico para trabalho sazonal.


Se você tiver interesse em saber mais desse assunto, deixe seu recado nos comentários.


11 - Como funciona o processo de visto para um intercâmbio na Itália?


Se seu desejo é fazer um curso de longa duração, superior a 90 dias, ou mesmo migrar para Itália, tirar um visto italiano é um dos passos mais importantes desse processo.

Naturalmente que os requisitos mudam conforme a modalidade de visto desejada, mas dentre as etapas necessárias estão a ida até o consulado da sua região e a apresentação de documentos como:


  • Passaporte válido;

  • Formulário de pedido de visto;

  • 1 fotografia;

  • Comprovante de residência;

  • Comprovante de meios de subsistência na Itália;

  • Comprovante de inscrição na universidade (em caso de curso, ou contrato de trabalho);

  • Seguro saúde

  • Proficiência em Italiano

Outros documentos podem ser exigidos, dependendo do visto solicitado. Você pode consultar a lista de consulados da Itália no Brasil clicando aqui.


12 - É possível permanecer no país após o término do intercâmbio na Itália?


Você pode permanecer na Itália por 90 dias sem necessidade de visto, como turista. Para permanência superiores a esse prazo, fique atento ao tempo de validade do seu visto de estudos ou trabalho. Caso ultrapasse este período, será considerado irregular.


Se você permanecer além dos prazos legais previstos, estará sujeito às sanções das leis, que variam desde multas de 5.000 a 10.000 euros, até deportação para estrangeiros em situação ilegal.


13- É possível fazer um intercâmbio na Itália sem estar estudando no Brasil?


Sim, é possível. Existem diversos pacotes disponíveis no mercado que não exigem vínculo estudantil no Brasil, mas eu indico saber falar italiano antes de preparar sua mala.


14 - O que eu preciso pagar à parte em um intercâmbio na Itália?


Essa é uma lista bem particular, já que ela depende muito do que você pretende realizar em solo italiano. No entanto, geralmente os pacotes de intercâmbio na Itália compreendem somente o curso escolhido e acomodação durante o período do curso.

Todos os custos com transporte, alimentação, viagem, seguro, acesso e ingressos para visitas culturais ficam a cargo do intercambistas.


15 - Onde buscar opções de bolsas de estudos na Itália?


Como eu disse no início desse texto, a Itália é um dos poucos países europeus que concedem bolsas de estudos para não-europeus.


Um desses programas é o Erasmus Mundus, que permite que estudantes europeus possam ir estudar em outro país da União Europeia ou até mesmo fora da União Europeia, e que estudantes de fora da União Europeia possam estudar na Itália.


Esse programa é uma das melhores oportunidades para ter uma experiência de intercâmbio na Itália e ainda obter um diploma reconhecido. Nesse site, você pode conhecer mais sobre o Erasmus Mundus.

Permita-se conhecer a Itália

16 - Como alugar apartamentos e casas na Itália?


Aqui vale lembrar que a melhor opção de aluguel sempre será a relacionada ao seu curso, quando a escola oferecer alguma parceria. Fora isso, pode ser necessário você procurar outras formas de achar apartamentos na Itália estando aqui no Brasil.


E nesse cenário, talvez a primeira pergunta que venha a sua cabeça é a necessidade de um fiador para alugar um espaço na Itália. Se for essa sua dúvida, fique tranquilo, não é necessário um fiador. Mas talvez seja preciso um “caparra”, ou seja, um caução que pode ser o valor de um a três meses de aluguel caso seu contrato seja diretamente com o locatário, que geralmente é mais barato.


Mas existem outras formas de conseguir alugar seu espaço na Itália além do mundialmente conhecido AirBnb. Abaixo eu separei cinco bons sites para buscar seu apartamento durante seu intercâmbio na Itália.


Subito.it;

Muito semelhante ao Olx no Brasil, o Subito possui diversas categorias de produtos, inclusive apartamentos e casas com valores mais atrativos.


Immobiliare.it

Esse já um site exclusivo para negociações de imóveis, desde compra, aluguel e venda. Há ofertas de empresas e pessoas físicas, além de filtros e opção de ofertas por mapa.


Kijiji.it

Um concorrente direto do Subito, com um layout mais amigável, mas sem tantas opções de produtos. Mas ainda uma excelente opção de pesquisa.


Affitto.it

Um dos mais tradicionais sites de aluguel de imóveis da Itália, mantido por empresas e corretores.


Easystanza.it.

Um dos mais utilizados por estudantes de todo o mundo, o EasyStanza ou RoomGo é um bom site para achar apartamentos e residências estudantis com preço atrativo.


17 - Como os italianos tratam os brasileiros?


Essa é uma das principais diferenças sentidas pelos brasileiros que fazem um intercâmbio na Itália ou mesmo visitam o país como turistas. Apesar de muito educados, os italianos não são tão calorosos e receptivos como os brasileiros.


Na língua por exemplo, se você não entende italiano, não espere a ajuda ou mesmo o esforço de um nativo para tentar compreender o que você diz. Os italianos são muito ligados às suas raízes e tendem a não se esforçar para ajudar alguém que fala outro idioma, mesmo o inglês.


No entanto, eles vão te ajudar muito, caso você esteja tentando falar italiano.


Portanto, esteja preparado para as diferenças culturais no seu intercâmbio na Itália. Mas não se preocupe, essa é justamente umas das características que tornam essa experiência tão rica.


18 - Onde procurar emprego na Itália?


Eu separei abaixo três dos principais sites de vagas de empregos na Itália, mas antes de você sair clicando nos sites e vendo as oportunidades, lembre-se que é necessário um visto que permita atuar profissionalmente no país. Frequentemente eu falo sobre esses processos no meu Instagram, me segue lá. Mas agora, vamos aos sites:


Adecco.it

O principal site de empregos do país. Permite buscar vagas com palavra-chave para o tipo de trabalho buscado ou usando a localidade onde queremos arrumar o emprego. Além disso, fornece dicas de currículo, entrevista, carta de motivação e outros assuntos muito úteis ao candidato.


Clicca Lavoro

Um dos melhores sites e mais fáceis de usar da Itália. Conta também uma área com cursos com vagas abertas, e um blog sobre o mercado de trabalho na Itália, com as melhores empresas para trabalhar e vagas.


Gi Group

Site conhecido internacionalmente, que facilita a busca de emprego em vários países do mundo, e é muito usado na Itália.


Mas uma dica extremamente importante é falar italiano antes de se candidatar para qualquer vaga. É essencial que você domine a língua nativa, já que a maioria das entrevistas é realizada exclusivamente em italiano.


19 - Qual a duração de um intercâmbio na Itália?


Depende muito da sua escolha. Há opções para diversos prazos, gostos e principalmente, bolsos. Mas em média os cursos de curta duração são de 14 dias. Já os de médio prazo duram entre 30 e 60 dias, e os de graduação ou especialização podem durar até 4 anos.


20 - Qual a melhor época para fazer um intercâmbio na Itália?


Os intercâmbio geralmente estão atrelados ao calendário estudantil, mas se forem cursos de curta duração, o mês de junho é o mais indicado, já que as temperaturas estão mais altas e você não sentirá frio para os padrões brasileiros, e ainda assim não está tão quente quanto julho e agosto. Além disso, é um mês mais barato para viajar, pois ainda não é período de férias, nem o mês mais procurado da primavera que é maio.


De forma geral, a melhor época para visitar as principais cidades italianas vai de março a junho e de setembro a outubro. Mas se você gosta de frio e neve assim como eu, indico que vá a Itália entre novembro e fevereiro.


21 - Preciso tomar alguma vacina antes de fazer meu intercâmbio na Itália?


Essa é uma pergunta frequente de quem pretende fazer um intercâmbio na Itália, já que para viajar para países da América Latina é obrigatório tomar a vacina contra febre amarela e pegar o certificado internacional de vacinação.

Felizmente não há alertas epidemiológicos para o país da bota, portanto não há obrigatoriedade de qualquer vacina para entrar na Itália.


Mas é altamente indicado que você mantenha suas vacinas em dia, principalmente a da gripe, já que você provavelmente transitará em lugares com alta aglomeração de pessoas durante seu intercâmbio na Itália. A dica aqui é sempre consultar o portal do Itamaraty para buscar todas as informações úteis, como vacinas e endereços de embaixadas no país.


Informação bônus


Estamos chegando ao fim desse super artigo de perguntas e respostas sobre intercâmbio na Itália e espero de coração que essas informações sejam úteis para você. Como dica bônus, quero compartilhar uma lição que aprendi a duras penas, quando morei na Itália.

Agora que você sabe da importância de falar italiano antes de ir para Itália, quero te fazer um convite. Participe das minhas redes sociais para aprender italiano com as dicas diárias que posto, e assista as aulas gratuitas toda terça-feira no YouTube.


Falar italiano fluentemente é possível, e pode ser mais fácil e divertido que você imagina.


Até o próximo artigo.

1,374 visualizações3 comentários

NUNCA MAIS PERCA UMA POSTAGEM!

Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades, além de dicas e aulas gratuitas!

Siga-me também nas redes sociais

  • Instagram

© 2019, Silvano Formentin

  • Ícone preto do Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Ícone preto do Instagram