• Silvano Formentin

A Porta de Entrada para Roma

Conheça a grandiosa Piazza del Popolo


A arquitetura de Roma é um verdadeiro patrimônio para a humanidade e é fruto de séculos de história. As construções da cidade foram erguidas em diversas épocas, com finalidades distintas e por artistas diferentes, mas todos com o ideal de embelezar a cidade. Um importante local que foi cenário de fatos históricos marcantes na cidade é a Piazza del Popolo, uma das mais famosas praças de Roma.

A Piazza del Popolo passou por muitas intervenções ao longo dos anos, graças aos diversos papas que encomendaram projetos de restauro e adornos para a praça, que recebeu diferentes modificações e reelaborações das obras já existentes.

Um Papa que se dedicou a entregar mais beleza à cidade através da arquitetura foi Alexandre VII, Papa que sucedeu Inocêncio X.


Alexandre tinha como nome de nascença Fabio Chigi, pertencente à família Chigi, banqueiros de grande prestígio na região de Siena, porém Fabio não se interessou em seguir a carreira da família e seus estudos o levaram por outro caminho.


O rapaz era autodidata e se destacava com seu conhecimento que transitava entre filosofia e teologia, história e arquitetura. Chegou a receber doutorado da Universidade de Siena em Filosofia, Direito e Teologia. Após seus estudos ele seguiu para Ferrara, onde avançou em sua carreira eclesiástica.


Com o passar do tempo, Fabio foi avançando dentro dos cargos da igreja e passou inclusive por cargos importantes que tinham como função fazer mediação entre países. Inocêncio X convidou Fabio para ir a Roma e lá ele foi nomeado pelo Papa como Secretário de Estado e Cardeal.


Mesmo com suas responsabilidades com o Estado ele não deixava de lado seu amor por literatura e arte. Continuou escrevendo uma série de poemas e incentivando os artistas e arquitetos de Roma. Durante seu papado não foi diferente e a arte sempre teve sua atenção.

Outra importante personagem dessa época, que era fascinada por literatura e arte, foi Cristina, a Rainha da Suécia. Filha única de Gustavo II Adolfo, se tornou rainha aos seis anos de idade por conta da morte de seu pai.


Cristina desde a infância mostrava ter uma personalidade forte, com um comportamento e estilo de vida incomum para uma rainha, se vestindo de forma masculina e vivendo de mau humor.


O que mais a interessava e prendia sua atenção eram os estudos e por isso dedicava muitas horas por dia para ler sobre arte, ciência e religião. Quando decidiu abdicar do trono, deixou a Suécia e se converteu ao catolicismo, partindo então para Roma.


Em Roma, Cristina entrou pela Porta del Popolo, portão que durante a Roma Antiga era chamado de Porta Flaminia e é a principal entrada da cidade, na Piazza del Popolo.


Lá, Cristina foi recebida com uma grande festa, um evento memorável para o povo romano junto do Papa Alexandre VII, que esperava de braços abertos a mais nova católica.


A trajetória de Cristina para se converter foi secreta. Mesmo tendo abdicado seu trono em 1654 para se converter, ela ainda tinha algumas ligações econômicas com a Suécia que não permitiam que ela se posicionasse em público como católica até aquele momento, em dezembro de 1655.

Até hoje, na Porta del Popolo, existe a homenagem do Papa Alexandre para a Rainha. A fachada interna foi obra de Bernini e feita especialmente para a chegada de Cristina, com os dizeres "por uma entrada feliz e auspiciosa" e também o brasão da família Chigi, simbolizando um marco para o catolicismo gravado até hoje na parte interna da Piazza del Popolo.

Essa é apenas uma das inúmeras histórias que envolvem a praça mais conhecida de Roma. A praça fica exatamente no topo de um triângulo de ruas da cidade que é conhecido como il tridente, composto por três vias muito movimentadas que levam ao coração de Roma.


Se você estiver no centro da praça e olhar em direção a essas vias, as Igrejas Gêmeas vão chamar a sua atenção. As igrejas Santa Maria di Montesanto e a igreja Santa Maria dei Miracoli foram dois edifícios projetados por Carlo Rainaldi, mas que com a intervenção na arquitetura proposta pelo Papa Alexandre VII elas passaram por modificações nas mãos de Bernini.


Bernini era o arquiteto preferido de Alexandre e dava todo suporte necessário para embelezar a cidade. A ideia do Papa era que as igrejas fossem iguais para destacar a simetria que existia no tridente formado pelas três vias que partiam da praça.

A ideia era ótima, mas havia um problema. As áreas das igrejas eram diferentes e com isso a nova estrutura das igrejas gêmeas seria complicada de realizar.


Bernini, junto com os artistas de seu grupo, tiveram uma ideia genial. Eles alinharam a fachada das igrejas e as cúpulas eles fizeram com diâmetros diferentes.


Dessa forma, com as cúpulas em tamanhos diferentes, eles conseguiram criar uma ilusão de ótica, fazendo com que quem olhasse da porta da praça visse as igrejas iguais, apesar da diferença entre elas ser real. A genialidade na arquitetura de Bernini é realmente impressionante.

Na Piazza del Popolo ainda existem outras obras que também chamam atenção. O obelisco que fica exatamente no centro da praça tem 24 metros de altura e é um dos principais obeliscos de Roma, além de ser um dos mais antigos. Foi transferido para Roma em 10 a.C. vindo do Egito. Inicialmente foi colocado no Circus Maximus e erguido na Piazza del Popolo somente em março de 1589.

A base do obelisco foi modificada algumas vezes antes de ter a forma que existe hoje, que é de quatro leões repousando sobre pirâmides. Além da Fontana dei Leoni o local ainda tem mais duas grandes fontes que ficam em lados opostos da praça.


De um lado, La Fontana del Nettuno, com obras de Giovanni e do lado contrário está a La Fontana dela Dea Roma, composta pela estátua da Deusa Roma cercada por duas esculturas que representam os rios Tibre e Aniene, e ao centro vemos a famosa Lupa Capitolina, a loba que amamentou os gêmeos Rômulo e Remo, que representa as origens lendárias da cidade de Roma. Inclusive, eu já escrevi sobre a história de Roma em outro artigo do blog, clique aqui para ler.

Não posso deixar de mencionar a Basilica di Santa Maria del Popolo, que é um dos edifícios mais importantes do renascimento, não só pela sua arquitetura, mas principalmente pelas grandes obras que abriga, de artistas como Rafael, Bernini, Caravaggio, Donato Bramante, Andrea Bregno, Pinturicchio e Alessandro Algardi.


Le chiese gemelle, a Basílica, o obelisco e as fontes criam uma atmosfera fascinante para a Piazza del Popolo. Este é um local para se visitar com calma e apreciar cada uma das belezas presentes na praça.


Ao redor da praça você poderá admirar a vista panorâmica da cidade ao conhecer o Terraço do Pincio, que tem entrada gratuita e fica a três minutos da praça, na Villa Borghese. Já escrevi sobre esse belíssimo local aqui no blog e você pode ler meu artigo sobre a Galleria Borghese clicando aqui.

Por fim, se pensar em passar em uma das vias do “tridente” formado pela Via del Corso, Via del Babuino e Via Ripetta, saiba que elas também são ótimas para serem visitadas e muito conhecidas como ruas de compras pois são repletas das mais variadas lojas.


Me conte nos comentários a principal atração que você deseja conhecer em Roma e qual outro local deseja ler a respeito aqui no blog.


Deixe seu e-mail no campo logo abaixo do artigo e nunca mais perca uma postagem do blog! Você receberá as novidades, dicas e conteúdos gratuitos, semanalmente!


Ci vediamo!

NUNCA MAIS PERCA UMA POSTAGEM!

Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades, além de dicas e aulas gratuitas!

Siga-me também nas redes sociais

  • Instagram

© 2019, Silvano Formentin

  • Ícone preto do Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Ícone preto do Instagram