top of page
  • Silvano Formentin

Um encontro de sabores: Descubra como o café estreita os laços entre Brasil e Itália

Ciao, caro leitor!


Hoje, tenho o prazer de compartilhar uma história que me emociona profundamente, pois tenho uma conexão íntima com ela.


Como descendente de imigrantes italianos, carrego comigo a herança dessa cultura que tanto enriquece a identidade brasileira. E não somos poucos nessa jornada: estima-se que existam cerca de 25 milhões de brasileiros com ascendência italiana, o que significa que é bastante provável que você também tenha essa conexão especial.


Nossos antepassados italianos desembarcaram em terras brasileiras com sonhos e esperanças de construir uma vida melhor. Eles enfrentaram desafios, adaptaram-se a uma nova cultura e contribuíram significativamente para o desenvolvimento do Brasil.




Café: A bebida que une Brasil e Itália


Quando pensamos na cafeicultura brasileira, é impossível não mencionar a contribuição fundamental dos imigrantes italianos.


Entre os anos de 1870 e 1920, aproximadamente 1,4 milhão de italianos desembarcaram em solo brasileiro, encontrando trabalho principalmente nas fazendas de café do Estado de São Paulo, conhecido como “terra roxa”, responsável por 35% de todo o café produzido na região.


Foi um período em que o Brasil se tornou referência mundial na produção e exportação de café, enquanto a Itália se destacava no desenvolvimento da torrefação.


Os colonos, após construírem suas casas e plantarem suas primeiras roças, uniam-se para realizar serviços públicos, como a abertura de estradas.


O café, juntamente com outras culturas, era cultivado e comercializado pelos colonos como meio de subsistência. Essa cultura, embora produzida em terras brasileiras, adotou tradições e costumes italianos, criando assim um vínculo sólido entre as duas culturas.


A região se transformou rapidamente, estabelecendo diferentes formas de assentamento, fundando cidades, expandindo as fronteiras pioneiras e impulsionando a construção de ferrovias, além de influenciar as práticas sociais nas fazendas de café.





Os construtores da nação brasileira: Por que os italianos vieram para o Brasil?


Com o fim da escravidão e o fluxo intenso de imigrantes, as senzalas deram lugar às colônias de imigrantes, que trouxeram consigo suas tradições, costumes e aspirações por uma vida melhor.


Desde a independência, a imigração foi importante no Brasil devido ao movimento abolicionista, a conjuntura internacional favorável e a escolha dos imigrantes europeus como força de trabalho.


O governo brasileiro, ciente das necessidades de reconstrução do país e da demanda por mão de obra, optou por facilitar a entrada e a integração dos imigrantes no país.


A situação internacional da época criou condições favoráveis para esse projeto, onde a Europa passava por:

  • Mudanças demográficas

  • Grande excedente populacional

  • Redução das taxas de mortalidade

  • Aumento da mobilidade (ferrovias e embarcações a vapor)

Enquanto isso, o Brasil estava expandindo sua produção de café e necessitava de mão de obra. Com a proximidade do fim da escravidão, tornou-se necessário contratar trabalhadores livres.


Com o decorrer do tempo, os fazendeiros optaram por viver nas cidades, e muitos imigrantes abandonaram as plantações para se dedicar a outras profissões, como marcenaria, ferraria, alfaiataria, panificação, comércio entre outros.





Paixão a cada xícara


O café, além de ser amplamente consumido no Brasil, possui uma importância significativa na cultura do país, trazida por nossos antepassados italianos.


Segundo um estudo realizado pela Organização Internacional do Café (OIC), os brasileiros consomem em média de 3 a 4 xícaras de café por dia, totalizando cerca de 5,8 kg da bebida ao longo de um ano.


Esse hábito, enraizado em nossa cultura, reflete a influência dos imigrantes italianos, que trouxeram consigo a tradição e o apreço pelo café.



O expresso é o tipo preferido pelos brasileiros, seguido pelo café com leite, também conhecido como pingado. Assim, o café se tornou não apenas uma bebida, mas um símbolo de nossa herança cultural, unindo o sabor e o aroma que nos conectam à história de nossos antepassados italianos.



Hoje, reconhecemos o papel fundamental dos imigrantes italianos no desenvolvimento do Brasil. Seu trabalho árduo deixou um legado em nossa sociedade.


A influência cultural italiana ainda é presente, seja na gastronomia, na música, nas tradições familiares ou no amor pela boa comida.



Ao valorizarmos nossa descendência italiana, enriquecemos nossa identidade e estabelecemos uma conexão especial com a história do Brasil.


Somos testemunhas do impacto positivo que a imigração italiana trouxe ao nosso país e nos orgulhamos de fazer parte dessa história.


Espero que essa narrativa tenha tocado seu coração e que você se sinta conectado. Afinal, as histórias de nossos antepassados estão entrelaçadas com as nossas, formando uma teia de experiências que moldam quem somos hoje.


Se você quer aprofundar sua conexão com as raízes italianas (seja descendente direto ou não), participe do evento online gratuito onde você aprenderá em 15 dias o que pessoas levam 4 meses nos métodos tradicionais.



Deixa aqui nos comentários a história da sua família italiana e sua relação com o café.


Até a próxima leitura, que possamos sempre valorizar e celebrar nossas raízes!



1.485 visualizações10 comentários

Posts recentes

Ver tudo

10 comentarios


Marcia Campolim de Oliveira
Marcia Campolim de Oliveira
07 jun 2023

Gosto muito de café e foi ótimo inteirar-me da história e dos tipos de café italiano. Com essas dicas, o professor Silvano nos ajuda a subir mais um degrauzinho a respeito da cultura italiana

Me gusta

Silvana Rodrigues
Silvana Rodrigues
31 may 2023

Meus antepassados chegaram ao Brasil por volta de 1910 e se estabeleceram no interior de São Paulo. Trabalharam duro nas lavouras de café e algodão. Minha mãe hj com quase 90 anos conta como foi difícil sua infância, pois os filhos tbm trabalhavam desde a infância.

Meus bisavós maternos são dá cidade de Rovigo e minha bisavó paterna da Sardenha onde passou sua adolescência vivendo na Calabria.

A imigração italiana contribuiu e muito pra economia do Brasil.

Me gusta

alicesfontanezi
28 may 2023

Adorei conhecer os tipos de caffè italiano!! Adoro café !!!

Parabéns Prof. Silvano, pelos conteúdos de seus Blogs, estou acompanhando todos e compartilhando com marito, já que é descendente de italiano e figlia para conhecer um pouco da história da Itália , suas culturas e seus hábitos . Fantásticos!!!!! Alice Fontanezi - aluna- A.dos Reis-RJ

Me gusta
Silvano Formentin
Silvano Formentin
15 jun 2023
Contestando a

Fico feliz em contribuir e ter pessoas como você que também propagam a cultura e o idioma da nossa querida Itália!

Me gusta

alvir.sonza
26 may 2023

ALVIR SONZA

Sou descendente por parte de Pai, e casei-me com uma descendente MARASCHINI a qual acaba de receber documentação para ela e os nossos filhos, portanto devo receber também pór ser casado com a Italianinha. Parentes radicados no RS, trabalham no cultivo de uvas em Bento Gonçalves desde 1875.


Me gusta

marima_k
26 may 2023

Ciao professor Silvano. Meus avós vieram da Itália, de ambas as partes, pai e mãe, porém eramos muito pobres e, no passado existiam poucos recursos, como a internet. Se quer sonhávamos em buscar a história dos antepassados, por isso tenho pouco conhecimento da história dos avós. Não tive a sorte de conhece-los. Como no RS a migração chegou mais tarde, não foi baseada na cultura do café, mas a família sempre teve presente o café, feito na chaleira e coado em "saco" feito de pano. Tomos a tradição de tomar café diariamente. Arrivederci

Me gusta
bottom of page