• Silvano Formentin

As receitas italianas mais conhecidas e copiadas


Não há dúvidas que a culinária italiana é cheia de sabor, mas será que as receitas e os ingredientes que chamamos de italianos são assim mesmo?


Quando imaginamos uma viagem maravilhosa para Itália, logo nos vem ao pensamento os belos pontos turísticos e todos os pratos típicos que poderemos apreciar admirando a paisagem.


A tradicional pizza italiana, a lasanha à bolonhesa, o espaguete ao molho de “pomodoro”, o expresso, o vinho e de sobremesa um belo tiramisù.


Um terço da despesa dos turistas que conhecem o país da bota destina-se à culinária, somando cerca de 30 bilhões por ano.


E a culinária típica não é deixada de lado na escolha dos souvenirs: 42% dos turistas escolhem um produto típico italiano para trazer na mala, como vinho, queijos, salames e azeite de oliva extravirgem.


A culinária italiana é reconhecida em todo globo, mas alguns aspectos tipicamente italianos se perderam no caminho da imigração.


Muitas das receitas que conhecemos hoje nos foram passadas pelas recordações que nossos antepassados tinham de sua vida na Itália.

Mas quando tentavam reproduzir as receitas de sua terra natal não era fácil encontrar os ingredientes utilizados nas receitas originais, sendo necessário algumas adaptações.


Com o tempo essas adaptações foram afastando as receitas conhecidas por nós das tradicionais receitas italianas e seus ingredientes regionais.


Montamos uma lista com as cinco receitas italianas mais conhecidas e copiadas pelo mundo para você repensar sua “receita italiana” ou estar preparado quando pousar no país da bota e as refeições forem no mínimo, um pouco diferentes do que você imagina.


1. Pizza


Um dos pratos mais conhecidos da culinária italiana com certeza é a pizza, mas é também um dos mais modificados.

Na Itália a pizza é um prato individual, com uma massa fina e recheios simples e tradicionais, sendo a massa a protagonista da receita.


Os sabores italianos tradicionais são vistos por muitos brasileiros como exóticos, pois levam ingredientes regionais e que deixam a pizza mais leve do que a conhecida no Brasil.

Alcachofras, cogumelos, berinjela e anchovas são alguns dos ingredientes mais utilizados, junto com molho de tomate, queijos e azeite de oliva.


Uma das pizzas italianas que mais mistura sabores e ingredientes é a pizza quatro estações, que leva: presunto, alcachofra, cogumelos e azeitonas.



Se na Itália a pizza agrada por sua simplicidade, ao atravessar o oceano o paladar é bem diferente. No Brasil, pizza é sinônimo de extravagâncias!


Pedida para ser saboreada em grupo, a pizza é o prato das reuniões animadas.

Para saciar a fome de todos, os tamanhos “grande”, “família” ou “gigante” são os mais pedidos, sempre com muito recheio.


E os recheios são cheios de ousadia! Os brasileiros são muito criativos na hora de cobrir a massa, com os ingredientes mais variados possíveis, que deixariam qualquer italiano “raiz” aterrorizado, assim como a forma da própria pizza em si.


Pepperoni com abacaxi, filé aos quatro queijos, estrogonofe com batata palha, coração de frango com muçarela. Sem falar nas pizzas de cachorro quente, acarajé ou fondue de queijo que devem levar um italiano a ter um ataque!


Muito distante da simplicidade italiana, as pizzas brasileiras ainda tem opção com bordas recheadas, com cheddar, catupiry, coxinha, cachorro quente, cream cheese e sabe se lá mais o que! Eu adoraria saber quais os tipos exóticos de pizza e de bordas aí na sua cidade, escreva nos comentários. 😊


Temos também pizzas doces cheias de frutas, gemada e chocolates.

E se nosso amigo italiano ainda não teve seu ataque, podemos colocar ketchup e maionese na pizza!


2. Lasanha à bolonhesa


A típica culinária italiana é preparada com paciência e dedicação, com ingredientes simples e cheios de sabor.


Conhecido no Brasil como molho bolonhesa, o molho não tem nada de italiano. Diz-se que o molho é chamado assim porque é oriundo da Bolonha, mas lá dizem que “molho bolonhesa não existe”, sendo motivo de piada e desgosto para os locais. O molho italiano que mais se assemelha ao nosso conhecido “bolonhesa” é o ragù.


O ragù é um molho feito com carne bovina e/ou suína cortadas diversas vezes ou moída de forma bem grosseira. Em algumas regiões o molho leva cenouras, bacon ou vinho.

Mas algo é certo, é preciso paciência para prepará-lo! O molho leva em média duas horas para ficar pronto.



A lasanha é um prato montado com muitas camadas de sabor e paciência. Se apenas o ragù leva em média duas horas para ficar pronto, a lasanha toda então...

E como hoje queremos tudo rápido, muitas vezes pulamos ou encurtamos as etapas deste prato de preparação lenta.


Na versão conhecida brasileira, o ragù foi substituído pelo molho bolonhesa, que fica pronto muito mais rápido. Algumas pessoas trocam o molho bechamel feito em casa por algum que vem pronto em caixinha ou sachê.


E em algumas famílias a lasanha não vai mais ao forno, ela foi trocada pela versão industrializada que vem congelada e fica “pronta” em doze minutos no micro-ondas! Imagina uma nonna italiana vendo isso!


3. Espaguete al pomodoro


O espaguete com molho de tomate é um clássico italiano, reconhecido do norte a sul do país por seus poucos ingredientes.


Mas se ao pensar nesse prato você lembrou do clássico filme da Disney com a Dama e o Vagabundo comendo macarrão juntos, você pensou no prato errado.


O prato italiano é feito com espaguete, um bom molho de tomate e manjericão para finalizar.

Nada de almôndegas como no filme.



A versão americana uniu o espaguete com molho de tomate com as “polpetas” italianas, dando origem ao Spaghetti with meatballs que aparece no desenho animado e difere-se da versão tradicional italiana por consumir carne e massa no mesmo prato.


Podemos lembrar também que algumas versões brasileiras são feitas com calabresa, frango, ou ainda salsichas.


4. Parmegiana


Se você ficou na dúvida entre parmegiana de frango ou carne, se enganou mais uma vez.

A tradicional parmegiana preparada na Itália não leva nenhum dos ingredientes.

No país da bota o prato é preparado com berinjela!


A beringela é um ingrediente muito comum na culinária italiana

No modo tradicional de se preparar esta receita, a berinjela é cortada em fatias e frita, sem ser empanada (à milanesa) como feito no Brasil.


Depois de fritas, as fatias são dispostas em uma travessa e temperadas com molho de tomate, manjericão, muçarela, parmesão e assadas.


O prato é feito em camadas e lembra uma lasanha, só que neste caso, com berinjela e sem molho bechamel, mas muito sabor.


5. Pasta alla carbonara


O Carbonara day é comemorado em 6 de abril e neste ano dois órgãos se uniram para fazer um desafio um quanto inusitado.

A Associação das Indústrias do Doce e da Massa Italianos (Aidepi) se uniu a Organização Internacional da Massa (IPO) para incentivarem os italianos a utilizar as hashtags #CarbonaraChallenge e #Carbonaraday mostrando suas reproduções da receita.


Neste caso, o prato encontra divergências no modo de preparo dentro da própria Itália.

Diz-se que a versão clássica é feita como ovos, guancialle (tipo de bacon não defumado, feito com a bochecha do porco), pimenta e Pecorino Romano.



A versão britânica costuma retirar o ovo da receita e incrementá-la com creme de leite ou nata, ervilhas e cogumelos (Mamma mia!).


No Brasil costuma-se usar o bacon no preparo da receita, que as vezes não agrada algumas pessoas por acharem que o ovo ficará cru.


Porém até hoje não se sabe ao certo a origem do prato que foi mencionado pela primeira vez em 1951 em um filme italiano e teve sua receita divulgada pela primeira vez em um guia de restaurantes de Chicago, Estados Unidos.


Qual registro tem mais validade para conquistar o título de país da carbonara?


Sempre que vou ao mercado, procuro comprar azeite italiano, pela qualidade, pela identificação cultural e claro, porque adoro produtos italianos.


Mas recentemente descobri que uma bandeirinha da Itália no rótulo e, pasmem, estar escrito "Made in Italy" no rótulo não é nenhuma garantia de que você está comprando um azeite 100% italiano.


Isso porque algumas marcas de azeite, inclusive de outros países europeus, são importadas para o Brasil à granel, em grandes tonéis, e só depois de chegarem ao destino é que o azeite é engarrafado.

E é aí que está o problema.


A legislação brasileira permite que nesse processo seja adicionado ao azeite outros óleos como o de girassol, soja, milho, etc. Triste não?

Pois é, e então você deve estar se perguntando: Silvano, como vou saber se o azeite é puro italiano?


Isso é italiano mesmo?

Eis a valiosa resposta: observe o número do código de barras, se os três primeiros números forem a sequência 789, significa que o azeite foi engarrafado no Brasil e provavelmente não é puro.


Outra informação importante que você deve observar é encontrar escrito no rótulo "imbottigliato in Italia". Ainda assim, se você tiver dúvidas, pode fazer o teste definitivo: coloque três dedos de azeite de oliva italiano extra virgem em um copinho e leve ao congelador por uma noite.


No outro dia, tente enfiar o dedo no azeite, ele tem que estar completamente congelado, igual uma pedra de gelo. Se ele estiver macio e conseguir furar com seu dedo, significa que ele tem óleo de soja misturado.


O planeta é imenso e existem muitas formas de se fazer uma mesma receita, assim é muito difícil conhecer todas alterações no modo de se preparar as típicas receitas italianas.

Mas os produtos são um pouco mais fácies de serem identificados, e assim também encontrar intrusos nas prateleiras dos mercados.


Os italianos possuem até um termo para chamar estas imitações dos produtos italianos: Italian sounding.


Este termo é utilizado para denominar o movimento que se iniciou nos anos 80 e utiliza cores, símbolos e idioma para que os produtos se passem por italianos.

Mas na verdade quando lemos os rótulos atentamente, não tem nada Made in Italy ali.


Entre os produtos mais imitados do Bel Paese estão o Parmiggiano Reggiano, a Mozzarella di Bufala e o Prosecco, e o movimento é visto principalmente na América, Austrália e países europeus.



Muitas vezes os consumidores compram os produtos que se utilizam destes artifícios sem perceber que estão dando poder para as empresas que se fazem passar por aquilo que não são, comercializando produtos que na realidade estão longe de ser aquilo que parecem.


Este movimento se desenvolveu ao ponto de se tornar uma concorrência desleal com os produtores italianos.

Cada vez mais os produtores italianos veem seu mercado sendo invadido por cópias e não conseguem concorrer globalmente com estes produtos devido ao valor inferior cobrado pelas cópias.


Não é algo simples, mas devemos buscar conhecer e saber o que realmente estamos consumindo e quem estamos apoiando.


Com o objetivo de auxiliar os consumidores e conscientizá-los sobre o consumo de produtos Italian sounding foram desenvolvidos um site e um aplicativo que buscam encontrar e informar o consumidor sobre este tipo de produto.


L’autentico tem como slogan: “Apenas porque parece italiano, não significa que seja autentico” e o site tem diversos artigos sobre produtos e receitas típicas italianas.

O site está em italiano e nos ajuda a praticar o idioma, mas o aplicativo está em inglês, já que se destina a encontrar produtos e receitas fora da Itália.


Cada um possui suas preferências, mas o importante é que nossas escolhas sejam feitas com consciência do que representam.


Com a globalização podemos escolher entre um produto de origem italiana, americana, brasileira ou de outros países. Desde que essa seja uma escolha da qual sabemos o que estamos consumindo, sem pensar que aquele produto é italiano e na verdade fomos enganados.


O mesmo acontece com as receitas, estamos livres para criar e provar diversos sabores de pizzas, lasanhas ou parmegianas.


Podemos desenvolver nossas versões pessoais inspiradas nos clássicos italianos, adicionando ou tirando ingredientes como sempre fizemos, mas agora pensando melhor quando dizemos “receita italiana”.


Também àqueles que futuramente irão conhecer a Itália e sua culinária, não acharem estranho quando a receita apresentada for diferente daquela conhecida no seu país.


Tenho outro artigo no meu blog que fala sobre comida típica italiana, você já o leu?

Mas te aconselho a não ler antes do almoço, ok?


Clique no link abaixo para ler:

5 comidas (muito esquisitas) que os italianos adoram


Desejo que você faça escolhas conscientes, nutra seu corpo com carinho e receitas deliciosas.


Não esqueça de comentar o que achou desse artigo e compartilhar com sua família. Ah, também fique à vontade para escrever sugestões de próximos assuntos a serem tratados aqui.


Buon appetito!

1,028 visualizações

NUNCA MAIS PERCA UMA POSTAGEM!

Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades, além de dicas e aulas gratuitas!

Siga-me também nas redes sociais

  • Instagram

© 2019, Silvano Formentin

  • Ícone preto do Facebook
  • Preto Ícone YouTube
  • Ícone preto do Instagram